Categorias:

O MELHOR motor de AVIÃO

Imagem do avatar de
Publicado por Equipe AeM

Estamos em 1995, você acordou, tomou aquele banho, foi tomar seu café, deu aquela olhadinha no jornal (lembra, aquele de papel, que deixava a sua mão preta e te informava com as notícias de ontem) olhou pela janela e disse “Acho que vou comprar um avião”.
Chegando na concessionária o vendedor te mostra o que tem no show room e depois de entrar, olhar os painéis , ver a posição de pilotar , vira para o vendedor e fala “Vou levar um B777 mas quero com banco de couro e tapete combinando”.
O vendedor feliz com a venda te pergunta “E qual motor você vai querer?”
Taí uma boa pergunta! Em alguns modelos de aeronaves o motor que vai ser usado é uma escolha de quem compra.

Hoje no B777 a escolha do motor é como a escolha da cor nos primeiros Ford modelo T, você podia escolher a cor que quisesse desde que fosse preto. No caso do B777 você pode escolher o motor de qualquer modelo e fabricante desde que seja o GE-90.
Mas em 1995 não era assim, você poderia escolher para o seu B777 entre o General Electric GE-90, o Pratt and Whitney PW4000-100 e o Rolls Royce Trent 800.

A escolha de um motor está longe de ser algo simples para uma empresa aérea. Ela envolve muitos estudos de engenharia, planejamento, financeiro e até jurídico.
De nada adianta escolher um motor mais barato se as revisões obrigatórias serão mais caras, como será o treinamento, quais peças devo manter em estoque, como é o atendimento em caso de precisar alguma peça ou até um motor inteiro com urgência e sem ter em meu estoque (AOG Aircraft on Ground), o quão complicado é para minha manutenção trabalhar nele, como funciona o suporte técnico, quais ferramentas precisarei ter, onde encontro oficinas certificadas e principalmente quanto vai custar tudo isso?
Além disso, temos o consumo de combustível que sempre foi de extrema importância em qualquer época, as condições de financiamento e os “brindes” que os fabricantes oferecem como treinamento, peças e etc.
Mas, como estamos surfando nas ondas da imaginação, vamos fazer um comparativo baseado nas informações técnicas que os fabricantes disponibilizam ao público em geral.