Há poesia nos aviões. Há aviões na poesia.

Seria eu um bucolista morto Ao derrubar aquela árvore Que me impede a bela vista Do aeroporto?

Continue lendo